Plataforma U2CN: matchmaker entre a sua empresa e players da China

Você está à frente de uma empresa que tem interesse em fazer negócios com a China? A Plataforma U2CN (you to China) é um projeto idealizado e criado pela Serpa China que funciona como uma vitrine para empresas estrangeiras no mercado chinês. 

Esse espaço virtual te permite multiplicar as oportunidades de fazer negócios com o gigante asiático. Aumenta a visibilidade das empresas no mercado chinês de forma moderna, segura, eficaz e segmentada, adaptada para o jeito dos chineses de fazer negócios.

Saiba mais sobre a Plataforma U2CN e veja as vantagens de cadastrar sua empresa.

A Plataforma U2CN moderniza a inserção de empresas estrangeiras na China

A China possui a segunda maior economia do mundo. Além disso, é o principal parceiro comercial do Brasil e a corrente de comércio entre os dois países vem batendo recordes. Por isso, deve ser um foco para quem quer atrair investimentos ou fazer negócios no mercado internacional. Entretanto, acessar o mercado chinês e superar as barreiras geográficas, culturais e de língua do país sempre foi um desafio para as empresas brasileiras. 

No passado, para fazer negócios com a China, o empresário fazia uma viagem de por volta de 42 horas até o país, se hospedava num hotel próximo à feira de negócios que motivou sua visita, e contratava um tradutor local para acompanhá-lo. Numa viagem de aproximadamente 10 dias, os 5 primeiros o empresário gastaria indo à feira de negócios. Nos seguintes, procuraria fornecedores e fábricas e, por fim, faria reuniões de fechamento ou iria atrás de viver experiências na cidade.

Mas, se temos tecnologia e inteligência artificial capazes de otimizar todo esse processo, por que não fazê-lo? A questão é que, até então, a saída para os empresários era disponibilizar seus produtos em sites de terceiros e fazer negócios “às cegas”. Esse problema mercadológico levou a Serpa China a customizar seus serviços e inovar, buscando uma solução mais eficaz para as empresas brasileiras. O resultado foi a criação da Plataforma U2CN.

Entenda como a Plataforma U2CN funciona

A Serpa China desenvolve o site oficial da sua empresa dentro da Plataforma U2CN. Disponibilizando seu site neste espaço virtual, todas as informações necessárias para atrair e converter visitantes em leads ficam disponíveis no lugar certo, de forma otimizada, acessível, pensada para ter bom desempenho e criar mais oportunidades de negócio. 

Lá, empresas e investidores chineses vão encontrar uma apresentação da sua empresa e de cada produto ou serviço oferecido, os certificados que a respaldam e um formulário de contato. Então, ambos podem dar início às negociações. Ou seja, não se equipara, por exemplo, a uma relação de compra e venda online. A plataforma é um espaço de comunicação. Os cadastrados têm a possibilidade de ter uma comunicação direta entre si e a negociação é totalmente personalizada. 

Além disso, o site publicado na plataforma possui outras funcionalidades essenciais de Marketing Digital:

  • SEO (Search Engine Optimization ou Otimização para Mecanismos de Busca): ajuda seu site a ranquear melhor nos resultados dos buscadores chineses.
  • Linguagem adequada: o conteúdo do site é traduzido para mandarim e adequado à linguagem do público-alvo.
  • Divulgação segmentada: o site fica disponível nos buscadores mais populares da China e a divulgação é voltada para públicos-alvo delimitados.

A Plataforma U2CN também fornece um relatório trimestral com métricas essenciais para a tomada de decisões. Ou seja, garante uma rica fonte de informações que te permitirá aprimorar seu produto ou serviço para se adequar cada vez mais ao mercado chinês, cobrindo suas demandas e gerando mais oportunidades de fechar negócio.

Acesse 7 anos de conhecimento mercadológico sobre a China

A Serpa China está inserida em Shanghai há 7 anos. Trata-se da cidade mais cosmopolita da China, com capacidade de concentrar negócios e com muita expressão no mercado chinês e mundial. Todo o conhecimento mercadológico absorvido pela nossa equipe ao longo desses anos nesse local privilegiado serviu de embasamento para a criação dessa vitrine de negócios. A U2CN é, então, uma leitura do mercado chinês e funciona em consonância com sua dinâmica.

Por que isso é importante para os brasileiros que querem se inserir na China?

Adentrar o mercado chinês requer estudo e conhecimento. Principalmente se levarmos em conta as barreiras culturais, linguísticas e geográficas. Diante disso, a Plataforma U2CN adapta as características das empresas brasileiras ao olhar do mercado chinês, ressaltando os pontos que vão chamar a atenção daquele mercado e daquela cultura, especificamente.

É essa tradução cultural que a Plataforma U2CN proporciona. Sem ela, nenhuma estratégia comercial é efetiva.

A Plataforma U2CN apresenta o melhor do Brasil para a China com exclusividade

A Plataforma U2CN foi criada com a intenção primária de expor e divulgar o potencial de negócios brasileiros na China, de forma atrativa e eficaz. Quando dizemos que a Plataforma U2CN está apresentando o melhor do Brasil para a China, significa que há exclusividade. 

O Brasil, por enquanto, é o único país contemplado pela U2CN. As empresas que se inserem na plataforma agora estão garantindo a oportunidade de solidificar nesse espaço privilegiado antes de seus concorrentes estrangeiros. Empresas de outros países da América do Sul (Argentina, Uruguai, Chile, etc) já demonstraram interesse em ingressar na plataforma, mas, nesse primeiro momento, ela é um espaço exclusivo para empresas brasileiras.

A Plataforma U2CN conta com o apoio institucional e participativo do Governo de Minas Gerais 

A Plataforma U2CN abrevia esforços para fazer negócios e conquistar investimentos da China. Por isso, Tania Reis, CEO do Grupo Serpa no Brasil, juntamente com os gestores da Serpa China, Ian Lin e Samara Reis, apresentaram a plataforma para lideranças empresariais e políticas no Brasil e obteve feedback e apoio ilustres.

A Plataforma U2CN contou então com o apoio institucional e participativo do Governo de Minas Gerais, que está em processo de inserir algumas de suas iniciativas na plataforma. Foi o que afirmou a Assessora da Vice-Governadoria do Estado de Minas Gerais, Claudia Elias, que representou o Gabinete do Governador de Minas Gerais no lançamento da Plataforma U2CN no Brasil em outubro de 2021. 

A Prefeitura de Belo Horizonte também já está inserida na Plataforma U2CN.

Você conheceu as motivações para criação da Plataforma U2CN, como ela funciona e as vantagens que oferece. Não hesite em ingressar! A sua empresa pode ter acesso a esse ambiente de negócios privilegiado apenas US$180,00 ao ano.

Saiba como ingressar na Plataforma U2CN

Bons hábitos para adquirir sucesso pessoal e profissional

Mais um ano se encerra e junto dele uma gama de questionamentos referente ao que foi feito; entregue quanto aos resultados e sobre o que ainda pode ser feito para o alcance de metas e objetivos propostos para os negócios e também para a vida pessoal.

Maíra Ataíde

http://www.arconsultoriagp.com.br/

Vale lembrar que o conceito da palavra sucesso torna-se cada vez mais subjetivo, visto que temos assistido a “onda” do ser em detrimento do ter, ampliando ainda mais o significado da palavra, acessando objetivos maiores e por hora mais duradouros.

Não há receita de bolo e tampouco um roteiro mágico que determine se teremos êxito ou não em nossas ações e empreendimentos; contudo bons hábitos e condutas são ingredientes certeiros que auxiliarão na conquista do que almejamos.

1-Seja grato: nos últimos tempos temos escutado bastante a palavra gratidão e consequentemente apresentam-se alguns estudos sobre a ciência da gratidão e seus efeitos. Práticas de gratidão vem sendo investigadas e já se mostraram efetivas para produzir benefícios psicológicos, físicos e nas relações sociais. Conscientize-se e agradeça pelas coisas; situações de seu cotidiano; de pequenas a grandes conquistas, celebre estas coisas e/ou pessoas, atentando-se também para acolher aquilo que lhe acontece que é considerado ruim. À partir de tal acolhimento é possível rever a rota e realizar mudanças necessárias. A gratidão nos conecta às pessoas e produz determinada inclinação comportamental para agir de maneira generosa conosco e com o mundo à nossa volta.

2-Pratique o auto perdão: é importante reconhecer-se como ser falho, com limitações e que está em constante aprendizado; assim sendo nossa capacidade de nos perdoar por situações de descontrole são maiores e isto é libertador.

3-Investir em pensamentos positivos: exercite o bom humor, a paciência e o entusiasmo. Tais características estão cada vez mais diretamente relacionadas às pessoas que pensam positivamente e destacam-se pessoal e profissionalmente.

4-Desvencilhar-se de crenças limitantes: por definição, crença limitante é uma espécie de desculpa para não fazer o que gosta e/ou é importante para você. Ela nos mantém em nossa zona de conforto e impede que tenhamos acesso à conquista de objetivos e também do desenvolvimento pessoal e profissional. Consciente disso, é conveniente organizar estratégias individuais que permitam desvencilhar de tais pensamentos que assumimos como verdade e que nos impede de desenvolver habilidades e emoções.

5-Pratique atividades físicas: seja ativo(a), incorpore a atividade física em sua jornada. Há um leque de opções à sua escolha, basta optar pela que mais lhe atrai e começar. Os benefícios são comprovados cientificamente, entre eles estão: diminuição da ansiedade, estresse e depressão, melhora no humor e autoestima, auxilia na prevenção e no controle de doenças cardiovasculares, diabetes, hipertensão arterial, osteoporose, problemas respiratórios e uma diversidade de outras ações preventivas.

6-Gestão do tempo: para que tais ações listadas acima sejam efetivadas, é necessário atentar-se para a realização de uma boa gestão do tempo. Tantas e tamanhas são as responsabilidades que assumimos que por hora temos a sensação que precisaríamos de mais horas em nosso dia para cumprimento das mesmas. É importante, saudável e necessário estabelecer metas claras, objetivas e que especifiquem o que deseja realizar, entendendo que todas as escolhas que fazemos estão sujeitas a perdas e ganhos.

Esteja sempre atento(a) à sua medida ideal para realizar cada hábito, respeitando sua individualidade e priorizando o equilíbrio, estado fundamental para transitar com lucidez em todas estas esferas.

Da importação à exportação: Conheça o caminho certo

Muitas empresas desejam começar a exportar, mas não sabem por onde começar. Isso pode levá-las a decisões erradas, o que geralmente coloca suas empresas em situações difíceis no médio e longo prazo. Para te ajudar a seguir o melhor caminho, escrevi o artigo desta semana. 

Tania Reis

http://www.gruposerpa.com.br

Primeiramente é preciso que o empresário entenda que é necessário aumentar a força produtiva para atender às expectativas dos consumidores estrangeiros. Portanto, comece fazendo um plano de importação para adequar sua produção aos gostos e necessidades desse novo público. Além de ter em sua linha produtiva determinados itens que já são hábito de consumo das pessoas que você quer atingir, você ainda irá passar confiança para os seus futuros clientes internacionais.

Dentro desse contexto, é preciso que sua empresa faça uma pesquisa de mercado para entender melhor o mercado no qual você vai entrar. Para tanto, procure um parceiro comercial para te ajudar a buscar as melhores feiras setoriais, levando em consideração o seu público e seu produto. Assim, você irá conseguir saber exatamente do que o seu público de interesse gosta e conseguir encaixar sua linha de produção para atender suas demandas.

No que diz respeito à exportação, a sua empresa deve estar ar atento a alguns detalhes no que tange a preparação para o envio ao exterior. A qualidade, não apenas do produto, mas também com a embalagem e a apresentação desses produtos quando eles forem recebidos são muito importantes na construção de relacionamento com os compradores estrangeiros.


Em suma, é preciso buscar elevar a competitividade de produtos, investir na hora da negociação e  na abertura de novos mercados. Para alcançar seus objetivos, tenha cuidado ao cumprir todas as etapas, da importação à exportação e, se for possível, busque um parceiro comercial para garantir a segurança do negócio.

Como buscar fornecedores no exterior sem sair do Brasil

São muitas as oportunidades para quem quer começar a importar.  Se você me acompanha aqui no Mulheres S.A sabe que isso acontece porque  as importações têm ajudado empresas a aumentar seu faturamento através da  diversificação e melhoria na qualidade de seus produtos e serviços. Pensando nisso, fiz esse artigo para te ensinar a melhor maneira de buscar produtos e matéria prima de qualidade fora do Brasil. Confira!

Tania Reis

http://www.gruposerpa.com.br

Participe de feiras de Comércio Exterior

Antes de comprar de uma empresa do exterior é preciso ver amostras para verificar os diversos tipos de fornecedores e ver o que se encaixa melhor dentro do que você espera. Por isso, é importante selecionar feiras setoriais que tenham uma maior oferta dos produtos desejados. Uma dica nesse sentido é ter um parceiro para te ajudar a escolher o evento que tenha mais a ver com os produtos e matéria prima que você precisa.

Faça cotações

Depois de escolher possíveis fornecedores, é necessário fazer cotações. Você pode pedir o endereço eletrônico durante a feira e, posteriormente, entrar em seus sites para conhecer melhor as empresas e solicitar uma cotação. Assim, você receberá maiores informações sobre os valores cobrados e as condições de atendimento.

Certifique-se da qualidade

Antes de comprar é importantíssimo solicitar amostras do produto de interesse para assegurar a qualidade dos materiais, embalagens e conhecer melhor o trabalho do fornecedor. Uma boa prática também é pedir os certificados de iso do país de origem. Outra dica aqui é pedir uma estimativa de tempo de entrega para os fornecedores e escolher aquele que melhor te atende e assim, se planejar.

 

4 livros sobre comércio exterior que você precisa ler

Atuar na área de Comércio Exterior é um desafio. Por isso, é preciso se atualizar constantemente conhecimento acerca da área é necessário. Pensando nisso selecionamos quatro livros imperdíveis para você.

                                                                                                                                              Tania Reis www.gruposerpa.com.br 

 

Como Preparar uma Empresa para o Comércio Exterior

A obra mostra quais são os caminhos viáveis para começar a exportar, dando um panorama geral dos processos operacionais e financeiros fundamentais para quem deseja reduzir custos através da internacionalização. Esse livro,  pelo professor da FGV, Nelson Ludovico,  é indicado para profissionais de comércio exterior  e empresários que pretendem importar ou importar.

Fundamentos de Exportação e Importação No Brasil

Este livro apresenta os conceitos do comércio exterior brasileiro. Ele aborda os conceitos sobre as operações de  importação e exportação e sua aplicabilidade no dia-a-dia das empresas. Esse título está entre as Publicações FGV Management, programa de educação continuada da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Logística Internacional – Um Enfoque Em Comércio Exterior

Na última década, o Brasil se tornou um importante parceiro comercial de vários países, isso faz com que a logística seja uma das principais ferramentas de redução de custos das empresas que desejam importar ou exportar. Dentro desse cenário, este livro, apresenta as soluções em transporte mais efetivas para cada caso.

Comércio Exterior Competitivo

O foco deste livro é contextualizar os regulamentos, práticas e perspectivas para empresas que desejam atuar no comércio exterior. O principal objetivo de José Manoel Cortinas Lopes,  é munir os leitores de informações relevantes e atualizadas acerca do Comércio Exterior proporcionando uma reflexão sobre a utilização do comércio exterior como ferramenta para aumentar a competitividade.

Tem alguma sugestão? Escreva nos comentários!

 

É possível separar a vida pessoal da vida profissional?

Maíra Ataíde

Olá Mulheres!
Empreendedora ou não, certamente você já deve ter se deparado com este questionamento no mínimo desafiador. Afinal somos convidadas quase todo instante a nos posicionar de forma divisível nas esferas da vida onde diariamente transitamos.
Para auxiliar no entendimento e resposta para a pergunta que intitula este texto, apropriarei do estudo etimológico da palavra indivíduo, que colabora poderosamente em nossa reflexão sobre esta temática.
Do Latim, indivíduo deriva de Individuus e caracteriza-se por aquilo não pode ser dividido. Logo, o indivíduo consiste em um ser individual, conhecido pela sua existência única e indivisível.
Para surpresa de algumas, não é possível separar a vida pessoal da vida profissional.
O que é perfeitamente possível e devido dentro de nossa realidade é equilibrar os contextos, para que assim tenhamos indivíduos harmonicamente sintonizados em suas demandas.
Vale lembrar que não temos uma receita de bolo que informe quais são os ingredientes e qual a quantidade destes para que se tenha um efetivo equilíbrio dos contextos em que nos encontramos inseridos, contudo arrisco algumas dicas a se pensar quando pretender alinhar aspectos da vida pessoal e profissional:
• Autoconhecimento; esta competência possibilita conhecer-nos melhor, percebendo-nos de forma realista tal como somos, mesmo em nossos piores momentos. Assim realizando, identifica-se maior propensão ao autocontrole, característica tão benéfica e de tamanha importância em nossas vidas.
• Definição de prioridades; tendo em vista que proporciona ganho de tempo e visão clara de foco, o que automaticamente abre caminhos para a saúde física e emocional.
• Boa comunicação; a clareza e objetividade da comunicação gera fluxos anti-stress, pois eliminam barreiras, tornando palpáveis projetos pessoais e profissionais.
• Domínio de sua rotina; em todos os âmbitos de sua vida tenha metas claras, acredite nelas e não se esqueça de focar diariamente em seus valores, respeitando-os e gerando conexões que façam sentido para sua vida.
• Bom senso; para você, para o próximo, para cada minuto da vida, pois esta pequena palavra, abarca sentidos grandiosos e consequências tão positivas capazes de colaborar significativamente em favor de sua saúde e bem-estar e dos demais à sua volta.

Coragem

Uma palavra pequena e muito forte. Do Latim Coraticum, derivado de cor, “coração “. Isso porque, em épocas remotas, este órgão era considerado a sede da coragem, além da inteligência.
E em nossas vidas? Somos corajosas ???
Posso afirmar que SIM. Por que ???
Porque para viver é preciso coragem. Desde o nascimento. Desbravando o desconhecido, o novo, os desafios, precisamos de coragem para estudar, escolher uma profissão, mudar de profissão, casar ou não casar, ter ou não ter filhos, aposentar ou não, e tomar novas decisões ao longo de nossas vidas.
Se pensarmos friamente tudo depende da nossa coragem em arriscar, em acreditar, em refazer, tentar novamente, não desanimar ….
Então, prezadas, o que mais desejo a todas vocês é sempre se vestirem de muita coragem e mãos à obra. Afinal a vida é uma só.
Sei que não é fácil, lutar, insistir, persistir, tentar fazer diferente, mas quando conseguimos, a sensação de dever cumprido, de vitória é simplesmente indescritível.

O que você tem feito para reter os talentos da sua empresa?

Começar uma reflexão com esta pergunta requer no mínimo tranquilidade para respondê-la e bom senso para pensar no que se tem feito em favor de manter seus funcionários atuando em prol do bom desenvolvimento da empresa e satisfeitos com o ambiente que o cerca.
Em tempos de crise, constata-se através do discurso dos gestores, que “não há verba suficiente para implantar ações que auxiliem na retenção de talentos”, bem como; “minha empresa é pequena e não tenho equipe para cuidar deste assunto”.
Vale lembrar que não há uma regra definida e que tampouco custe efetivamente um valor estipulado em reais, assim como não existe regra que estipule tamanho da empresa para fazer acontecer uma boa e estruturada política de retenção de talentos.
Se buscarmos conexões interativas junto à equipe, pautadas em uma política de feedback pontual, onde prevaleça o desejo de desenvolver pessoas, tem-se aí o início do processo de retenção de talentos.
Uma boa política de retenção inicia-se pelo entendimento estratégico da posição ocupada por cada colaborador. Saber se o cargo/função está adequadamente compatível ao perfil de cada colaborador, garantirá a assertividade e produtividade que daí advém de ter a pessoa certa no lugar certo. Observações práticas e escutas psicológicas nos postos de trabalho comprovam que pessoas satisfeitas e laboralmente bem colocadas produzem mais e com maior qualidade.
Aliado ao posicionamento estratégico, outra importante ferramenta que auxilia na retenção de talentos é o treinamento. Sugere-se reservar determinadas horas de treinamentos técnicos e comportamentais, no intuito de desenvolver os colaboradores. Ressalto que temos um leque considerável de opções, não sendo as questões financeiras entrave para sua realização. Atualmente existe uma vastidão de opções em cursos online e algumas opções a baixo custo que facilitam o investimento. Chamo a atenção também para o desenvolvimento denominado um a um. Conversar individualmente com seus colaboradores, olhar nos olhos e procurar saber como estão, denota significativa preocupação e interesse pela causa do outro.
Procure remunerar seus colaboradores de maneira justa. Opte por formas de tornar tal remuneração atraente, mantendo o salário sempre em dia. Pense também em agregar ao salário, bônus de alguma forma, lembrando que para muitas pessoas o mais importante é o salário ao final do mês, mas para a
outra parte dessa porção, significativo mesmo são as questões que envolvem tempo de qualidade com família e amigos, feedback e reconhecimento.
Tão importante quanto preocupar-se com a retenção dos talentos, é conhecer paulatinamente, mas de forma holística seus colaboradores, pares de trabalho e os benefícios proporcionados por uma boa gestão de retenção de talentos, que automaticamente se transforma em benefícios diversos como a fidelização de clientes, crescimento da empresa, além de garantir a melhoria nos resultados do seu negócio.

Domésticos – O Que Você Precisa Saber

Apesar da edição da Lei Complementar 150/2015, que conferiu uma série de direitos aos empregados domésticos, o cumprimento às normas trabalhistas ainda engatinha.

                                                                                                               Carla Gonçalves de Souza

Se no mundo corporativo o Direito do Trabalho ainda é aplicado de forma muitas vezes relutante, no mundo doméstico, apesar da edição da Lei Complementar 150/2015, que conferiu uma série de direitos aos empregados domésticos, o cumprimento às normas trabalhistas ainda engatinha.

Não sei se o descumprimento à legislação é cultural ou por falta de conhecimento mesmo. E, em relação aos domésticos, vou falar a seguir, sobre alguns direitos previstos na Lei acima mencionada.

Semana passada conversei com uma babá que me disse que quando foi questionar seus direitos à sua empregadora, ouviu o seguinte “eu não estou aqui para seguir as leis não, e você tem que facilitar a minha vida e não eu facilitar a sua”!!! Isto mostra que muitos empregadores domésticos ainda estão vivendo na época do feudalismo, e, eu sei que muitos empregados domésticos são alvo de discriminação… ahhh, fulana é empregada doméstica: ihhhh, coitada!! A sociedade brasileira precisa evoluir ainda em muitos aspectos.

No Brasil ainda há muito enraizado o valor que se dá à posição social e não ao valor pessoal de cada ser humano, é como que se uma profissão fosse melhor que a outra e costuma-se ainda olhar as pessoas dos pés à cabeça, por causa da função que ela exerce.  Triste demais!!

Mas felizmente a Lei e a Justiça do Trabalho estão aí para os que insistem em tentar viver nos séculos passados.

Em um único texto não dá para traçar todos os detalhes da lei, mas quem quiser pode digitar no Google a Lei 150/2015 para ver a integralidade do texto, bem como entrar em contato comigo para tirar as dúvidas.  O empregador pode ainda, acessar o Manual do Empregador Doméstico no site do e-social: http://portal.esocial.gov.br/.

Inicialmente, cumpre destacar que empregado doméstico é aquele ( babá, cuidador de idoso, faxineira, motorista, jardineiro, secretária pessoal, cozinheira, vigia, etc.)  que trabalha em residência ou sítio de lazer ( sem fins lucrativos ou atividade comercial/rural), que presta os serviços de forma contínua, onerosa e subordinada,  por mais de 02 vezes por semana, para pessoa física,  ou seja, faxineiro de prédio, de estabelecimento comercial, faxineiro de condomínio não é empregado doméstico e sim, empregado comum, regido pela CLT.

Pois bem, vamos à jornada: o empregado doméstico deve ter jornada de 8 horas diárias e 44 semanais, com uma folga semanal de 24 horas consecutivas,  e o descanso entre uma jornada e outra deve ser de 11 horas, ou seja, vamos supor que o empregado termine o labor às 19 horas, assim ele só pode começar a trabalhar de novo após as 6:00 do dia seguinte.

Ahhh tá, mas e se passar de 8 horas de trabalho diário e 44 horas semanais, tem que pagar horas extras?! Sim, e com o adicional de 50%, se não houver entre empregador e empregado um acordo POR ESCRITO, de compensação de jornada ( quando o empregado termina a jornada mais cedo). Mas é bom ficar atento, pois não há modalidade de compensação verbal e, além disso, o empregador é obrigado a ter um controle de jornada por escrito, bem como do banco de horas, em caso de compensação.

Essa compensação funciona da seguinte forma: 40 horas extras mensais ou são pagas ou compensadas durante o mês, e o que exceder a 40 horas extras no mês podem ser compensadas no prazo de 01(um) ano.

Vejam só,  é  obrigatória a concessão de intervalo para repouso ou alimentação pelo período de, no mínimo, 1 (uma) hora e, no máximo, 2

(duas) horas, admitindo-se, mediante PRÉVIO ACORDO ESCRITO entre empregador e empregado, sua redução a 30 (trinta) minutos.

Caso o empregado resida no local de trabalho, o período de intervalo poderá ser desmembrado em 2 (dois) períodos, desde que cada um deles tenha, no mínimo, 1 (uma) hora, até o limite de 4 (quatro) horas ao dia.

Se o empregado doméstico trabalhar até 25 horas semanais, o contrato de trabalho será considerado a Tempo Parcial e o salário pode ser proporcional ao número de horas laboradas.

Ainda, é possível que empregado e empregador assinem um acordo para que o trabalho seja feito em regime de 12×36 ( esse tipo de jornada é muito comum para cuidador de idoso).

O acompanhamento do empregador pelo empregado em viagem será condicionado à prévia existência de acordo escrito entre as partes e a remuneração-hora do serviço em viagem será, no mínimo, 25% (vinte e cinco por cento) superior ao valor do salário-hora normal. Entretanto, poderá ser este adicional, mediante acordo, convertido em acréscimo no banco de horas, a ser utilizado a critério do empregado.

Não vou tecer maiores detalhes aqui, mas é bom deixar registrado que o empregado doméstico tem direito ao FGTS, a férias  + 1/3, 13º salário, vale transporte, aviso prévio indenizado proporcional, em caso de não trabalhar no período deste, tem direito a adicional noturno,  pode ser dispensado por justa causa se cometer faltas elencadas na lei, e o empregado pode pedir a rescisão indireta do contrato, caso o empregador descumpra o contrato de trabalho e/ou cometa as irregularidades elencadas no artigo da lei. O empregado doméstico tem direito a licença maternidade e paternidade, dentre outros.

O empregador doméstico pode  e deve ter acesso aos recibos e formulários para documentar a relação entre o empregado, no portal http://portal.esocial.gov.br/ , devendo lembrar que ao não seguir a legislação trabalhista corre o risco de ser acionado judicialmente e se ver obrigado a pagar caro por sua negligência.

Então é isso, espero que este texto tenha sido esclarecedor e mais ainda, conscientizador. Até a próxima vez!

4 dicas para você começar a importar

Importar produtos de mercados estrangeiros é muito vantajoso, pois estes possuem boas ofertas e qualidade, o que possibilita o crescimento constante da competitividade. Entretanto, os fornecedores do exterior têm características próprias e, por isso, é preciso atenção na hora de adquirir produtos deste mercado. Pensando nisso, preparei quatro dicas para te ajudar a começar a importar. Confira!

                                                                                                                                               

 

Opte pela Importação Simplificada 

Antes de começar é preciso fazer a habilitação Radar/Siscomex. Essa pode parecer uma tarefa complicada, mas existe uma modalidade gratuita chamada “Importação Simplificada”, que permite que mesmo uma pessoa física possa comprar de um fornecedor estrangeiro sem precisar passar por terceiros.

Tenha a ajuda de uma empresa especializada em comércio exterior de confiança

Após o cadastro, é preciso buscar um despachante aduaneiro de confiança, pois, além de ser o responsável por liberar suas mercadorias no porto ou aeroporto, ele irá te auxiliar no cálculo dos impostos. A contratação desse profissional é importante pois ele poderá ajudar a reduzir os custos e a burocracia na hora de importar. Recomendamos neste caso a ajuda de uma empresa especializada em comércio exterior.

Conheça as exigências do governo brasileiro 

Outra vantagem de possuir parceria com um despachante aduaneiro é o conhecimento minucioso das transações internacionais. Com esse aliado, será possível saber quais os produtos precisam de certificações que atendam às normas brasileiras e assim evitar surpresas e custos extras durante a importação.

Antes de fechar o negócio, confira a reputação do fornecedor

Quais são as condições da fábrica? Ela consegue produzir o que está no contrato? Ela está documentação em dia? Antes de começar a negociação e fechar o negócio, procure os órgãos responsáveis no país de origem do fornecedor e faça essas pesquisas.

Em suma, para trilhar um caminho de sucesso durante a importação é preciso atenção aos detalhes e, se possível, contar com um parceiro para te ajudar em todos os detalhes. Tem alguma dúvida? Escreva nos comentários.